Tia Anita


podia ser a de Loulé mas sou eu a verdadeira Tia Anita que se comove a ouvir o verdadeiro-sobrinho a olhar para a minha fotografia e a reconhecer-me, sem hesitações: Tia. repete. Tia. e aponta com o dedito (tudo é ito quando se é Tia). e agarra-me com a mãozita e leva-me a todo o lado onde ele quiser ele é que ainda não sabe. além de ser Tia-única também sou Tia-palhaça para fazer caretas nas alturas em que ele mais precisa (e os pais também): tomar banho, comer, pôr creme-nos-refegos, vestir-a-camisola-com-braços. a Tia-radical para fazer cavalinhos e empurrar o triciclo onde ele ainda não chega aos pedais. a Tia-destruidora para provocar choques frontais de carrinhos à dimensão de um acidente na 2ª circular em hora de ponta. a Tia-protectora que tem vontade de dar um berlaite no miúdo mais velho que o ultrapassa no escorrega ou que garante que ele não precisa ter medo de cair do baloiço: Sebastião, a Tia está sempre a segurar-te. é para o bem e para o caos e eu não quero faltar-lhe nos momentos mais determinantes. a Tia-educadora que não-faço-a-mais-pequena-ideia-do-que-estou-a -fazer que isto de educar vai-lá-vai. a Tia-dançarina, a Tia-maluca, a Tia-sorridente, a Tia-contadora de estórias, a Tia-da-voz fininha que podia descredibilizar-me em qualquer outro fórum mas quero lá saber. derreto-me a olhar para ele e a ver incontáveis vezes os 350 mil vídeos que já tem antes dos dois anos e a dizer-lhe que a bola se chuta na direcção do outro. Sebastião, tiras uma fotografia com a Tia? e a fotografia lá está numa moldura no quartito dele e ele sempre presente para sempre no meu coração.

Comentar