Pe Afonso

conheci o Pe Afonso numa peregrinação a Fátima. lembra-me a laranjas sumarentas e doces e à sombra das oliveiras onde ele, despretensiosamente, traduzia as palavras de Cristo em suas. antes de ser um padre jesuíta era um homem, de carne e osso, que se sentava connosco e iluminava tudo com o seu sorriso. eu também não era praticante e ele não se importava com isso, nunca me tentou evangelizar, respeitava o meu propósito e acolheu-me nas suas orações e conversas que fomos tendo pelo caminho. como alguém me disse recentemente, nunca estamos à espera das grandes coisas e eu não esperava que ele transformasse a minha busca em gratidão.

Comentar